um-dia-estive-aqui-site

Viajantes Barrigudos: Um Dia Estive Aqui

Hugo Claro é o autor do site de viagens “Um Dia Estive Aqui“, um viajante que está sempre a pensar no próximo destino – e em como organizar viagens. Aliás, foi com esse objetivo que nasceu o seu site, para ajudar os outros a planear as suas viagens. Ele é o Viajante Barrigudo deste mês, até porque além de viajar, também gosta MUITO de comer #estamosJuntos

“Sou um apaixonado por costumes e por hábitos, é por isso que não aprecio viagens de luxo (se bem que não digo que nunca as farei, e se as fizer, serão os primeiros a saber!), mas gosto de viver como os locais, gosto de comer (MUITO!) comidas típicas e gosto de conhecer aqueles cantinhos que não vêm nos guias turísticos, para além disso, gosto também de poupar o máximo que posso. Acredito que para viajar e ficar a conhecer o local não precisamos de gastar rios de euros.”

1diaestiveaqui-blog-de-viagens

1. Sem ser a parte da sobrevivência, qual a importância da comida quando viajas?
A comida para mim, é uma parte fulcral da viagem. Não só é o momento que escolho para descansar as pernas da caminhada, mas também é o momento em que vivo mais um bocadinho da cultura do país através da boca.

2. Já alguma vez escolheste um destino em função da gastronomia local?
Não costuma ser a bússola orientadora da escolha do destino. No entanto, é uma parte importante da viagem e do planeamento. Como tal, na fase de planeamento é muito comum eu procurar os melhores restaurantes ou as comidas típicas. Eu gosto de comer o que é feito no país. Não me encontrarás num local de comida chamada “internacional” e quanto mais típica, melhor 🙂

3. Gastronomia/país que mais te surpreendeu no que toca à comida?
Turquia, a comida com paladar semelhante ao português (muitos refogados e estufados) mas com um Q diferente com as especiarias locais. Foi o país onde comi melhor, sem duvida até agora.

Um-Dia-Estive-Aqui-viagens
Num viagem a Istambul, na Turquia

4. Melhor comida de rua 
Também foi na Turquia, comi um Hatay Künefe, que é basicamente um queijo doce frito (?) com uma calda doce e chá. Não sei explicar melhor o que era, mas era delicioso!

5. A melhor refeição em viagem 
Na Namibia, comi um lombo de Oryx com puré de batata. Não sei se era a fome a falar mais alto, mas estava realmente delicioso. Num castelo, no meio do deserto, com o por do sol tipicamente Africano por trás. Não dá para ser melhor que isto.

6. A pior refeição em viagem
Talvez em Nova Iorque, onde a comida é especialmente cara e especialmente banal. Estamos a falar de hambúrgueres, nada gourmet, com sabor bastante regular. Agora, talvez a minha carteira também não tenha gostado do hambúrguer. O que faz com que seja a pior refeição (refeições!) em viagem.

um-dia-estive-aqui-blog-viagens
Na Namibia

7. A refeição mais cara 
África do Sul, passagem de ano em Cape Town. Num restaurante que se dizia tipicamente Português (e sem nada de Portugal), a refeição custou 150€ por pessoa, sem bebidas e apenas um prato. Além disso, a comida era muito muito mediana.

8. A comida mais estranha até hoje e onde
Não me recordo de nenhuma comida estranha. No entanto, em Angola, onde estou a viver, já comi Catatos. Basicamente são minhocas fritas. Não adorei, é muito típico por estes lados.

9. Que comida mais sentes falta em viagem?
Eu sou de bom alimento. Não estranho nada e como tudo, não sou especialmente ligado a um tipo de comida, então em viagem eu desenrasco-me bem 🙂

10. Se tivesses de escolher um tipo de comida, para comer para sempre, seria:
Portuguesa! ?
Sushi!!! Sou um mega fã. Como sushi em todas as viagens que faço para experimentar em todos os países! 🙂