top-10-comida peruana

Sobre o João Barrigudo

jb.joaobarrigudo@gmail.com | Facebook | Instagram

 

A Sofia

Apesar do nome João, o João Barrigudo é na verdade a Sofia!

“Sou natural de Coimbra, mas já vivi em muitos sítios – na Turquia (Sakarya), onde fiz Erasmus. Na Letónia (Riga), onde fiz o Leonardo da Vinci. Em Espanha (Madrid), onde vivi e trabalhei durante cinco anos. E em Berlim onde ainda resido oficialmente, apesar de nos últimos quase dois anos, ter ando por aí! Como trabalho em Marketing Digital, comecei em 2018 a minha aventura como nómada digital que além da Europa, já me levou pela Ásia e pela América do Sul. E a certeza que o melhor ainda está para vir!

 

As razões pelas quais eu gosto de viajar

Eu gosto de viajar, porque gosto da aventura, do novo, do inesperado! Gosto de ver coisas bonitas e feias, mas gosto sobretudo de conhecer e, com isso, de aprender.

Ver o Coliseu de Roma pela primeira vez, aos 18 anos, emocionou-me ao ponto de me deixar com uma lágrima no canto do olho. O Taj Mahal ainda hoje me faz sorrir quando penso o belo que é. Quanto ao Machu Picchu, poucas coisas devem ser tão lindas no mundo! E menos ainda nos farão sentir com 5 anos numa manhã de Natal, como um safari no Kruger, na África do Sul. Ou tão agradecidas, como uma peregrinação pelo Caminho de Kumano Kodo no Japão – e poderia continuar!

Mas eu não viajo só pelos sítios. Viajo pelas pessoas. Gosto muito de pessoas. Gosto de olhar para elas e de tentar entender as suas vidas. Gosto de detalhes e gosto de Histórias. Das felizes, das tristes, das conquistas e das de superação. Mas gosto mais ainda de histórias rotineiras da vida comum. Quanto mais viajo, mais eu gosto de pessoas e de falar com elas! É quando fico em casa que tendo a achar que o mundo (e a humanidade) está perdida!

Não viajo pelo glamour, até porque quando viajo, posso até gastar dinheiro num bom restaurante, mas não em boas camas. O meu capricho máximo é água quente. Aliás, eu gulosa me confesso, viajo também porque gosto de comer! Gosto muito de comer.

E depois há o lado saudável. Eu, uma preguiçosa nata, em viagem sou super activa. Acordo cedo sem rabujar e transporto mochilas sem dores de costas. Sim, viajar faz(-me) bem à saúde. E faz-me feliz.