nomada-digital-na-malasia

Ser nómada digital na Malásia

Dos muitos países por onde andei como nómada digital, possivelmente ser nómada digital na Malásia foi das experiências mais felizes. Provavelmente, porque as expectativas eram baixas, mas mesmo assim, adorei e achei o país incrível.

VIAGEM À MALÁSIA – DICAS

Ainda mais, a minha ventura enquanto nómada digital na Malásia começou em janeiro de 2019, dias antes da celebração do Ano Novo Chinês (longa vida ao Porco). Logo, o ambiente tinha ainda um extra festivo no ar. 

A Malásia tem uma mistura incrível de modernidade (sobretudo a capital, Kuala Lumpur) e de tradicionalismo. Além disso, tem uma misturada incrível, não só do sudeste asiático, da rica vizinha Singapura, mas também chinesa e indiana. Obviamente que tudo isto fica patente na hora de comer e, verdade seja dita, comer na Malásia é delicioso – e nunca aborrecido!

viagem-malasia-dicas

Por onde andei na Malasia:

Durante a minha viagem enquanto nómada digital na Malásia, passei por Penang, Malaca e Kuala Lumpur. Aqui ficam as minhas considerações sobre cada um:

Em Penang

Simplesmente adorei. Ainda mais, fiquei num working em Penang com ar condicionado e onde todo o staff era muito simpático. Quanto às condições, eram também muito boas, suficientes para fazer um nómada digital em Pennag feliz. Sobretudo o preço, cerca de 50€ por mês. Na minha opinião, Penang é um bom reflexo daquilo que é a Malásia e do seu multiculturalismo. O centro é bem fofinho, com street art pelas ruas e, embora estejam a desaparecer, há ainda os bairros chineses, indianos e várias mesquitas. Contudo, não se vê muita misturada entre as diferentes culturas. Pareceu-me mais que cada um anda na sua vida. Aliás, a maioria das pessoas com quem falámos sobre o tema, dizia precisamente isso e que problemas, só mesmo em épocas de crise económica, quando todos se começavam a acusar e atirar culpas. Ainda sobre Penang, foi daqueles locais que se não fosse pelo calor do demónio que fazia (ainda mais em janeiro/fevereiro), facilmente me poderia imaginar a viver ali. Outro ponto a favor de Penang é a comida, come-se muito, MUITO BEM – podem encontrar aqui uma lista com melhores restaurantes em Penang.

 

Em Malaca

malasia-malaca

Quanto a Malaca, pareceu-me mais turística do que Penang e como tem o canal que percorre a cidade é mais bonitinha. Pessoalmente, acho que ir para um português visitar Malaca é suuuper interessante, pois esta região foi portuguesa entre 1511 e 1641.

Além dos pasteis de nata e um restaurante português, a influência é sobretudo notaria na arquitectura. Além disso, há também uma considerável comunidade cristãos. Se vão com tempo, não deixem de visitar o bairro português em Malaca. Cheios de santos e cruzes às portas, aqui celebram-se os Santos Populares e os habitantes mais velhos ainda falam português. O que não deixa de ser muuuuito admirável, pois os professores vão e vêm. Logo, o idioma vai sendo transmitido de geração em geração. Ainda assim é impressionante o carinho com que falavam de Portugal. Por exemplo, conheci lá um senhor de olhos rasgados e verdes e que assim que lhe disse que era portuguesa não parou de me apresentar a toda a gente. Via-se que estava visivelmente emocionado por puder falar o idioma e, mesmo sem nunca ter saído da Malásia, gostava mais de Portugal do que de batatas fritas.

Em Kuala Lumpur

viagem-malasia-dicas

A capital da Malásia é uma espécie de introdução a Singapura. Contudo, é giro ver que ainda persistem os tradicionais food markets e alguma loucura asiática. Se vão visitar Kuala Lumpur, é imprescindível guardar uma manhã ou uma tarde para ir às Batu Caves, mas fora isso não fiquei a babar com a cidade. Gostei bem mais de Penang.

 

digital-nomada-malasia

Nomadismo Digital na Malásia – Pontos positivos

Quanto a pontos positivos de ser nómada digital na Malásia diria a boa qualidade de vida que se consegue ter, associado a um baixo custo. Além disso, a rede de transportes é bastante boa e funciona muito bem.

Depois, a multiculturalidade resulta numa arquitectura muito única. Logo, andar pelas ruas é um prazer. E não me refiro aos edifícios megalómanos de Kuala Lumpur. As casas baixas e coloridas, misturadas com a street de art de Penang ou Malaca eram absolutamente incríveis – e tudo muito limpinho.

Outro ponto a favor é, sem dúvida, a comida! Das comida do sudeste asiático, a Malásia é o país com sabores mais próximos da Índia, sem ser uma imitação barata! Vão ver como se sentem a comer na Índia, facilmente!

Para terminar, o aeroporto de Kuala Lumpur é bastante movimentado. Ou seja, é fácil encontrar voos baratos para outros destinos próximos. Além disso, quer para a vizinha Tailândia, quer para Singapura encontram facilmente comboios e autocarros entre os dois países.

 

O QUE FAZER EM SINGAPURA

Nomadismo Digital na Malásia – Pontos negativos

Como referi anteriormente, depois de nómada digital na Malásia, se não fosse pelo calor, poderia viver em Penang. Contudo, importa entender que aquilo não é apenas um calorzinho, é aquele calor bafo, dos que dificulta a respiração.

Além disso, debaixo da bandeira da multiculturalidade, está um país muito complexo. Apesar de aceitar os outros idiomas e religiões, a língua oficial é o malaio e a religião oficial o Islão. Logo, os outros estão muitas vezes em desvantagem. Por exemplo, um amigo austríaco que lá trabalha e com dois filhos, dizia que sentia isso na pele, assim como a família. Notem que eles são branco e europeu. Ou seja, para quem é de origem indiana era ainda pior, assim como para os chineses.