Poupar-durante-a-viagem

15 Ideias para poupar em viagem

Poupar em viagem | João Barrigudo

Confira 15 dicas sobre como poupar em viagem. Não se tratar de como poupar para viajar, mas sim de ideias para poupar dinheiro durante uma viagem.

1. Poupar na hora de comer

via GIPHY

Eu sou meia suspeita, gosto mesmo MUITO de comer e não tenho problemas em gastar dinheiro num bom restaurante, mesmo quando estou num quarto ranhoso, sem água quente. Contudo, isso não significa que ande todos os dias a comer em modo cinco estrelas – mas gostaria! Assim sendo, aqui vão algumas dicas para poupar com comida em viagem:

  • Se o hotel tem pequeno-almoço, então, amigo leva um pão e uma fruta para o meio da manhã e da tarde.
  • Optar por comer // restaurantes locais: Ai os bichos? Ai a sujidade? O meu critério é sempre ir ao local onde há mais locais. Se eles sobrevivem, também eu!
    Mesmo para comer na Índia, segui sempre nesta regra e comi de maravilha e sempre impecável.

2. Comparar preços

Obviamente que cada país é um caso, mas comparar, comparar e comparar ajuda muito na hora de poupar. Nem sempre um hostel é mais barato do que o hotel. Nem sempre a agência faz um preço mais caro do que o transporte público local. Nem sempre o táxi compensa mais.
Ou seja: vale a pena perder tempo e comparar preços, procurar informações, mesmo que isso por vezes signifique, meia hora de estafa (e de mochila às costas), a ir de um lado para o outro.

3. Regatear

Eu assumo: sou uma desgraça neste campo. Aliás, eu ODEIO regatear e lembro-me sempre disso quando vejo a minha toalha da cozinha, que comprei no Peru! Depois de ouvir um “feita à mão” (pois, sim, abelha!), parei com o regateio e paguei o primeiro preço – caríssima! Em alternativa, se tiverem um amigo descarado, com goste pelo regateio, estão safos. Por exemplo, eu tenho uma amiga que regateia como quem respira e poupo muito quando viajo com ela.
Outra opção é mentir – sim, eu digo mentiras em viagem. Por vezes, saio-me com um “eu fui ao sítio X e lá fazem por metade!” Por vezes, funciona.

4. Viajar durante a noite

via GIPHY

Outra técnica para poupar em viagem infalível é viajar durante a noite, pois sempre se poupa em alojamento. Sobretudo em países grandes, onde há sempre comboios e autocarros nocturnos.
Contudo, não se esqueçam da regra 2 (comparar, comparar). Afinal, hoje em dia, há voos mais baratos do que comboios e autocarros.

5. Andar com a merenda atrás

Andar sempre com qualquer coisa para trincar, sobretudo fruta e água. Deste modo, não entram em loucuras e evitam comprar gordices! E se têm fome, procurem um supermercado; cafés e bares saem sempre mais caros!

6. Comprar in loco

Não sei porquê, mas temos muito a tendência de levar tudo connosco – shampoos, cremes, protectores solar, etc. Já para não falar do “comprar coisas para a viagem” – casacos, calçado, etc.
Ora, se vamos viajar para um país mais barato do que o nosso, isso há partida, não faz sentido. Além disso, também lá as pessoas se lavam, usam cremes e se vestem. Pessoalmente, acho que há coisas que vale a pena comprar no local da viagem.

Enquanto mulher viajante, só há três coisas que levo sempre:

  • Tampões: infelizmente tendem a ser muuuuito caros (como na Colômbia ou no Laos). Ou impossíveis de encontrar (como no Irão ou na Malásia) ou são super pequenos (como na Tailândia).
  • Pílula: não só pela marca, mas também porque não está à venda sem receita médica (ou de todo) em todos os países.
  • Preservativos – esta é porque é melhor andar sempre prevenida e serve para ambos os sexos, logicamente.

7. Caminhar, caminhar e caminhar

via GIPHY

Para poupar em viagem, nada melhor do que dar uso às perninhas. Muito menos táxi e Uber e afins, menos autocarro ou metro. Caminhar é bom, faz bem, é a melhor forma de conhecer um sítio, é grátis e, dizem, ajuda a emagrecer!

8. Não ter vergonha na cara

Se te convidam para jantar em casa do primo da sogra e/ou é alguém que te inspira confiança, vai!
Se vês quem pareça ir na mesma direcção que tu, pergunta se podem partilhar o transporte e dividir o custo a metade. E quem diz transporte, diz até o quarto – e, sim, já dividi o quarto com desconhecidos várias vezes! Afinal, no final da noite, todos queremos o mesmo: dormir e gastar pouco.
Uma coisa é certa: o “não” está sempre garantido!

9. Poupar no alojamento 

Se estás mesmo apertado de dinheiro, o COACHSURFING é perfeito para encontrar alojamento gratuito. Uma dica: nunca optes por ficar em casa de gente ainda não tenha uma review e lê-as sempre com atenção. Tive uma experiência péssima, quando estive a viajar no Irão, porque o meu anfitrião tinha todo um plano para a minha viagem e que não coincidia com os meus. Ou seja, era tipo lapa, a querer levar-me para todo o lado e a fazer planos por mim!

10. Procurar programas gratuitos

via GIPHY

Por exemplo, sabias que quase todos os museus de Paris têm horários grátis? Ou que algumas igrejas abrem as portas, gratuitamente, durante as horas em que o coro ensaia?
Enfim: confirma sempre os horários gratuitos dos locais que queres visitar, assim como descontos associados.

11. Escolher bem onde gastar dinheiro

Quando vamos de viagem, queremos fazer mil coisas e lemos/ouvimos mil recomendações mais sobre o que “temos mesmo de fazer”, “experiência imperdíveis”, etc.
Todavia, vamos ser sinceros: nem todos temos interesse em tapeçarias persas ou em passar duas horas a ouvir falar sobre cerâmica. A viagem é tua, certo? Logo, não te deixes levar pelo que é suposto fazer e por gastar dinheiro em vão. Afinal, depois do quinto templo budista em Chiang Mai na Tailândia, e a menos que sejas um especialista no tema, não há muito mais acrescentar!

12. Lavar roupa

Convenhamos, há sempre muita roupinha que se pode lavar a mão, na casa de banho, não é verdade, amigos?

13. Money, money

via GIPHY

Se poupar em viagem é uma preocupação, imagino que a última coisa que queres é gastar dinheiro em comissões ao banco e levantamentos, certo? Cada banco é diferente, contudo hoje em dia, há tantos serviços,  que vale a pena investigar o que mais compensa.

  • No meu caso, eu viajo com dois cartões: o Revolut (VISA) e o N26 Black (Maestro e Mastercard). Gosto especialmente do último, porque não cobra taxas (excepto quando no país é o próprio multibanco que o faz – e aí, nada a fazer. Acontecia-me no Camboja e no Brasil, por exemplo) e ainda faz a conversão do dinheiro no momento, em tempo real. Ou seja, não fica à espera “do melhor momento” para o (banco o) fazer. Além disso, em podendo, pago sempre com cartão.

14. Poupar nas comunicações

Com o uso generalizado da Internet, esta questão é cada vez mais secundária. Seja, porque há sempre um café com wifi grátis, NET no hotel ou porque é fácil comprar um cartão de dados logo no aeroporto.

15. Poupar dinheiro a comprar recuerdos

via GIPHY

Pessoalmente, só compro ímans e envio postais. Depois, tenho também por hábito de comprar algo do país, mais pelo simbolismo. Contudo, algo pequenino e prático. Por exemplo, da minha última viagem a Kyoto comprei uma poster da exposição da Yayoi Kusama; do Vietname o recipiente para fazer café, etc. Ou seja, tenho não gastar dinheiro em coisas potencialmente inúteis e que sei que depois vão acabar num canto a ganhar pó, como pratinhos e outros tarecos. E muito menos para oferecer! Sinceramente, quem é que vai querer ter na sala uma miniatura de Angkor, sem nunca lá ter ido?

Que outras dicas para poupar EM viagem acrescentarias a esta lista?