pão-com-manteiga

Pão com manteiga

Ode ao pão com manteiga

Pão com manteiga: esse luxo de estrela Michelin! Nasci em 1986, o que significa que grande parte dos meus lanches, em casa e na escola, foram à base de pão com manteiga.
Nesta altura, a manteiga era vista como uma coisa boa e saudável. O demo era a margarina, o que significa que eu não comi pão com manteiga, eu comi pão com quilos de manteiga.
A verdade é que não fui menina dada a Tulicremes e mesmo os quietinhos da vaca que ri, nunca me fizeram tão feliz como um bom pão com manteiga.
E quando ele ainda estava morninho?! Que emoção!

Manteiga salgada, senhores

Como fui educada no meio de grande sofisticação, davam-me manteiga salgada. Nada daquelas untadas sem sabor. Creio que por essa razão, ainda hoje p comer pão com manteiga tem esse duplo sentido para mim: comer o pão e comer também a manteiga.
No topo das minhas preferencias está a manteiga Milhafre dos Açores e, logo a seguir, a Mimosa salgada, claro está!
Num terceiro lugar, colocaria a Planta, mas apenas porque me traz boas recordações das férias na praia. Recordo-me de acordar de manhã com cheiro a praia, pão fresco na mesa, leitinho e Planta. Contudo, o meu amor pela manteiga salgada fala sempre mais alto e a Planta ficou apenas na memória.

Ainda hoje, comparando com as manteiga salgadas, todas as outras são só tristes e desinteressantes. Um dia em que eu mande neste mundo, serão totalmente abolidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *