paises-mais-perigosos-do-mundo-para-viajar

Os 10 países mais perigosos do mundo para uma mulher viajar sozinha – e os melhores

 

Recentemente, vi a circular pelo Facebook, a imagem acima sobre os 10 países mais perigosos do mundo para uma mulher viajar sozinha. Ora sendo eu uma defensora das vantagens de viajar sozinha, não pude deixar de ficar curiosa e ir investigar mais. Foi assim que acabei por descobrir que este estudo, denominado por “Women’s Danger Index”, foi feito por Asher e Lyric Fergusson, dois investigadores que escrevem para várias publicações internacionais, como The Guardian, Bloomberg ou Forbes. Ao todo, eles analisaram 50 países e tiverem em conta factores como:

  1. Gallup World Poll (2018): Percentagem de mulheres que se sentem seguras ao caminhar seguras na rua = 2 pontos
  2. Equal Measures 2030 (2018): Índice sobe o número de mulheres assassinadas intencionalmente = 2 pontos
  3. UN Women (2016): Violência sexual (em casos em que o autor não é um parceiro de longa data) = 1 ponto
  4. Georgetown Institute (2017/2018): Violência doméstica por parte do parceiro = 1 ponto
  5. Georgetown Institute (2017/2018): Discriminação Legal = 1 ponto
  6. World Economic Forum (2017): Diferença Global de Gênero (Global Gender Gap) = 1 point
  7. UN Development Program (2017): Desigualdade de Gênero = 1 ponto
  8. OECD (2018): Pesquisa sobre as atitudes face a casos de violência contra as mulheres = 1 ponto

 

Os 10 países mais perigosos para uma mulher viajar sozinha

via GIPHY

Para começar, aqui fica a lista dos piores países para uma mulher viajar sozinha, sendo que vamos do pior para o menos mau:

  1. África do Sul
  2. Brasil
  3. Rússia
  4. México
  5. Irão
  6. República Dominicana
  7. Egipto
  8. Marrocos
  9. Índia
  10. Tailândia

Ora, apesar do nome deste site, eu sou mulher – taxaraaaaam! O que significa que já visitei seis destes países. Sendo que apenas em dois deles (Tailândia e Marrocos) viajei sozinha. De todos os países, o que mais me surpreendeu ver na lista foi, sem dúvida, a Tailândia. Como assim, a Tailândia é pior do que a Arábia Saudita ou as Filipinas?! Para mim, continua a ser dos melhores países para viajar sozinha e até o recomendo sempre que alguém vai viajar sozinho pela sua vez ou para a primeira viagem longínqua!

 

Os 10 melhores países para uma mulher viajar sozinha

 via GIPHY

Depois do pior, vamos aos melhores países para viajar. Neste caso, já visitei 7 em 10, sendo que apenas na Polónia viajei sozinha. Aqui fica o topo 10, com Espanha no topo da lista de melhores países para mulheres viajantes:

  1. Espanha
  2. Singapura
  3. Irlanda
  4. Áustria
  5. Suíça
  6. Noruega
  7. Portugal
  8. Croácia
  9. Canadá
  10. Polónia

Pode ver a lista completa AQUI

Algumas considerações:

Ora, uma lista é uma lista é uma lista, ou seja, vale o que vale. Ou seja: tem a importância que cada um lhe quer dar!
Para começar, apenas 50 países foram estudados, ou seja, falta aqui muuuuita coisinha para analisar. Sobretudo países africanos e também da América  central. Além disso, o estudo foi feito com base em estudos oficiais sobre importantes questões como a violência doméstica ou a desigualdade social. Se por um lado, sabemos que muitas das estatísticas ficam muitas vezes aquém da realidade, já que há uma grande discrepância entre os números oficiais e a realidade; por outro, muitas destas questões não afectam diretamente uma mulher viajante. Embora, claro, possam ser um indicador na hora de estar mais ou menos alerta. Por exemplo, em Portugal ou em Espanha ando sozinha na rua às três da manhã, sendo que em algumas ruas pensaria duas vezes. Já no Brasil ou na África do Sul, nem pensar!

Ainda assim, o que mais me preocupa nestes estudos de “piores países” é pensar que há gente que deixar de ir ou de fazer, por medo. Como referi anteriormente, sou mulher e já visitei mais de metade dos países na lista dos piores países.

Eu sei bem que o Irão é um país terrível para as suas mulheres; contudo, não o é para as mulheres que o visitam. não no sentido de insegurança ou violência. Pelo contrário, é até bastante seguro.

Já na Índia, sim, há casos em que o violência se estende também às mulheres que o visitam. Ainda assim, seria incapaz de dizer a alguém que evitasse uma viagem à Índia por causa disso.

No meu caso, o país onde senti um assédio maior, foi mesmo em Marrocos. Não era um assédio violento, mais que tudo era chato! Ou seja, não foi nada que me fez sentir em risco (e eu ia sozinha), nem assustada. Simplesmente, aborrecia-me ter de ouvir bocas e ruídos de beijinhos a cada esquina! Ainda assim, voltaria a Marrocos – aliás, planeio voltar.