comidas-mais-estranhas

Comidas estranhas

Comidas estranhas: O meu top 10

Comidas estranhas e definir o que é ou não estranho, é sempre subjetivo. Cada um sabe de si! Além de que comer é cultural! Logo, o que é estranho para uns, é super natural para outros e vice-versa.
Aqui fica um top 10 de comidas estranhas, que eu experimentei. Sim, eu, uma portuguesa que come caracóis e põe queijo no Caldo Verde – não me julguem!

1. Comer insectos no Camboja

top-10-comidas-estranhas
Deixo-vos a Angelina a comer insectos, que é sempre mai-linda do que eu!

A coisa agora virou meio moda e mais aceitável, garças à Angelina Jolie. Além disso, muitos cientistas ressalvam que comer insectos deveria ser uma dieta a seguir por todos, pois são altamente nutritivos e com menos impacto na pegada ecológica.
No Camboja, comer insectos nunca foi um pitéu. Os insectos só entraram na dieta cambojana durante a ditadura atroz do Khmer Vermelho (ou Khmer Rouge), que durou de 1975 a 1979. A fome e a escassez de alimentos era tanta, que não havia outra alternativa.

E antes que perguntem, sim, já experimentei e comi insectos. São crocantes. Um bom snack.

2. Comer Durian no Camboja

frutas-e-comidas-estranhas
Durian: a evitar

Das coisas que mais adorei na minha viagem pelo sudeste asiático, era a fruta! Ora em sumo, ora em bolsas de plástico e  comer pela rua! Nos mercados, descobri tanta fruta que eu nem conhecia!

Certa vez,  no Camboja, estava eu a apreciar o Durian de cara intrigada quando um viajante inglês, que me disse ser médico, comentou que era um fruto muito bom e que o recomendava muito aos seus pacientes oncológicos. Ele avisou-me do mau cheiro, mas disse que era bom. Comprei.
E, barrigudos da minha vida, quando aquilo veio para a mão, já aberto… que cheiro horrível! Não há palavras! Um misto de meias sujas, com queijo podre. e vomitado Levei um pouco à boca e só queria cuspir. Ko-rrore!
Depois disso, descobri que por causa do cheiro, o Durian está inclusive proibido em alguns lugares públicos, como no metro de Bangkok.

3. Comer iogurte de feijão e milho no Laos

Continuando pelo Sudeste Asiático, este iogurte, eu tenha de admitir: foi mesmo a pior coisa que me deram a comer no Camboja e está na lista de coisas que comi e quase vomitei. Falo de um iogurte de milho e feijões vermelho. Nojinho!

4. Comer feto de pato no Vietname

comer-feto-de-pato
Comer feto de pato – um piteu nas ruas de Hanoi.

Quando fiz a minha tour de comida em Hanoi e a guia perguntou se queríamos comer ovo de pato, disse logo que sim! Quem é que torce o nariz aos ovos?

Pois bem, no Vietname, a coisa não podia ser simples! Os barrigudos vietnamitas gostam de comer o ovo, com o patinho lá dentro, quando este já está bem formado – com bico, patinhas, olhos,… continuo? Mais do que tudo, falo por mim, o que apoquenta é a junção das palavras: “comer feto”. Na prática, sabe tudo a ovo cozido, se bem que ainda mexe com o meu coração.

5. Comer natto no Japão

comida-estranha-japao
Mais do que uma comida estranha, o natto é blaaaaak!

Come explicar o que é o natto? Pensem numa coisa de cheiro intenso e bem pegajosa. Bem nhanha! Muito nhanhosa! Isso é natto. Ainda assim, comer nato no Japão é bastante popular e, por norma, é servido ao pequeno-almoço, com arroz – obivamente.

6. Comer porquinho da Índia no Peru

cuy-peru
Comer porquinho da Índia no Peru

Eu sei, eu sei: os pouquinhos da India são uns fofos, mas no Peru são também um pitéu – e tive de experimentar.
Sinceramente, não apreciei, para uma coisa tão pequenina tem muita, mas mesmo muita gordura! Além disso, os peruanos que me perdoem, mas a maneira como chega o bicho ao prato não é nada apetecível.

7. Comer cabeça de cabra em Marrocos

Continuando pelas comidas estranhas, mas desta vez mais perto de casa: vamos a Marrocos?
Ora, estava eu a passear por aquele labirinto, que é o riad de Marraquexe, quando chegou a hora de almoçar. Já no restaurante, sei lá eu como, mas o dono convenceu-nos a comer cabeça de cabra. “Uma delícia”, dizia ele, “um pitéu!” exclamava! Obviamente que experimentamos e… não há ali nada para comer. Paaaasso! Em boa verdade, é só fibra, além de que a imagem ainda hoje me dá pesadelos – dentes, olhos, pelos,… continuo?

8. Comer rabo de touro em Espanha

rabo-de-touro
Há comidas estranhas que são boas! Tipo o rabo de touro

Para começo de conversa, se nunca comeram, vão e experimentem. Num dos restaurantes de Madrid, onde eu ia muitas vezes, o El Buscon, via muitas vezes este prato do menu., torcia o nariz e seguia, até que um dia tive de provar. Resumindo: DELICIOSO, uma carne estufadinha, daquela que se desfaz toda na boca. Têm de experimentar.

9. Comer foie gras em França

A primeira e única vez que comi foie gras estava beeeeem longe de saber toda história atrás do prato. E, sim, gostei. Como podem ver por esta lista, não sou esqusitinha, nem muito moralista. Eu experimento tudo.

No entanto, dentro da comida francesa, o foie gras ultrapassa toda a minha compreensão! Eu compreendo a parte do “é bom”, mas não a do “vale tudo”! Hoje em dia, os patos e os gansos chegam a ser alimentados entre seis a oito vezes por dia através de um tubo, de modo a obrigar o fígado a armazenar toda a comida – algo normal nestes bichos que, assim, se preparam para o inverno. No entanto, abusar de uma característica de sobrevivência de um bicho, para o encher de comida até rebentar, para nós comermos algo bom… desculpem, mas isto nem é uma comida estranha, é simplesmente cruel!

10. Comer arroz de cabidela em Portugal

cabidela
Foto de arroz de cabidela de pingodoce.pt

Para terminar este top 10 de comidas, resolvi acabar com Portugal. Obviamente que para quem está de fora, também nós temos muita comidinha estranha. Contudo, estando tão habituada, não é fácil escolher uma coisa!

Embora, ache que há muitas comidas estranhas para comer em Portugal, tipo caracóis ou moelas – sim, pessoas: MOELAS! Caso não se lembrem, as moelas fazem parte do sistema digestiva das aves. Inclusive das galinhas, que estão longe de ser a Miss Higiene do reino animal. A moela ajuda a esmagar alimentos e conecta com a cloaca, o local de desemboque dos sistemas excretor, reprodutor e digestivo. Isso: caquinha. E, sim, adooooro moelas!

Bem, ainda assim, e dentro deste cenário, continuo a achar o arroz de cabidela a opção mais nojentinha. Barrigudos, estamos a falar de arroz de frango, com sangue! Sangue de galinha, seus canibais sem coração!

 

E vocês, contem-me tudo sobre as comidas mais estranhas que já experimentaram?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *